fbpx

Professora confeccionou bonequinhos de cada um dos seus 23 alunos. Ela tinha saudade deles e queria tê-los por perto

Até agora, quando falamos das aulas online e tudo o que isso implica, sempre a pensamos desde a perspectiva dos alunos. Eles vão se distrair com o computador diante deles? Vão conseguir se concentrar na aula? Farão as suas tarefas direito?

No entanto, ninguém pensa nos professores. Eles, que lamentavelmente estão carregados com o estigma de serem a autoridade e de se encarregar de que as coisas funcionem, portanto, têm muito mais olhos sobre eles e nem sempre são consultados sobre como é trabalhar de suas casas.

Pegamos o caso de Ingeborg Meinster-Van der Duin, por exemplo, professora da escola Bavinck, em Haarlem (Países Baixos), que tem boa parte de sua história dedicada a crianças e que viu seu trabalho muito comprometido quando fecharam a escola pela pandemia do COVID-19.

Stichting Salomo Scholer

A senhora Ingerborg vive para os seus pequenos estudantes, que a acompanham dia a dia na sala de aula e alegram a sua vida com travessuras. Por isso, não aguentou mais tê-los distantes e confeccionou 23 pequenos bonequinhos de cada um dos seus estudantes para que estejam perto dela nesses dias de confinamento.

O nível de detalhe de cada um dos bonequinhos é muito impressionante: Ingeborg conseguiu reproduzir as vestimentas de seus alunos e os desenhou com suas jaquetas e suéteres respectivos, além de colocar os óculos neles ou sardas para os que têm. Além disso, dedicou de 3 a 4 horas para cada boneco.

Ingeborg Van der Duin

Uma vez que acabou o trabalho, mostrou os resultados a seus alunos e aos pais deles. O projeto foi um sucesso: sem colocar nenhum nome nos bonecos, a garotada pode reconhecer facilmente quem era quem.

Mas, para eles faltava alguém muito importante na coleção: a senhora Ingeborg, que não tinha pensado em fazer um boneco de si mesma. Com isso, colocou as mãos à obra e completou a coleção com o seu próprio modelo.

Ingeborg Van der Duin

Em breve, os estudantes dos Países Baixos poderão voltar às escolas e buscar os seus pertences pessoais e assim Ingeborg terá uma oportunidade de ver seus alunos e entregar pessoalmente a eles o bonequinho de cada um.

Ela conta que a ideia foi tão popular na escola, que muitos professores pediram a ela que fizesse os bonecos dos estudantes deles também, mas Ingeborg disse que “não tem tempo para isso”. Só para os seus adorados estudantes.